O segredo da numerologia

Que a Numerologia é uma linguagem de símbolos não é nenhum segredo.

Mas há outro lado da numerologia, que é praticamente ignorado, e esse é o seu potencial como portador de sabedoria e compreensão espiritual.

A numerologia, é frequentemente usada apenas com o propósito de analisar um nome e data de nascimento, ou em uma tentativa de obter vantagens sobre eventos futuros.

A numerologia é uma linguagem de símbolos; os mesmos símbolos que usamos para descrever as quantidades.

No entanto, na numerologia, usamos esses símbolos de maneira diferente, ligando-os a personalidades, características de caráter e o que você tem.

Sem aprofundar sobre cada um dos números de um único dígito e suas características; informações que você pode obter em qualquer livro de numerologia decente e até mesmo no Google, gostaria de me concentrar em outra história; a que os números contam, uma história que pode ser vista como uma ilustração do nosso caminho para a realização.

Cada um de nós tem o potencial e poder de superação necessários para enfrentar as dúvidas, o medo e ignorância e chegar até seus objetivos.

Em um artigo anterior, eu escrevi sobre o número 1, que representa a criação e a força primordial da qual tudo se origina; o primitivo, que pode existir ao mesmo tempo com outra coisa; já que a unidade existe em tudo; em oposição ao zero a partir do qual, por definição, nada poderia vir a existir.

O zero está livre das restrições de tempo espaço representa o imortal; o infinito, porém nada vem do zero; o zero é a imaginação e a expressão das inúmeras possibilidades, mas a origem e o começo se dão no 1.

E assim é que você existe, você veio de 1, você é a unidade em sua individualidade e é por isso que agora você tem o maior presente de todos: você está vivo.

Mas a vida é imensamente confusa. Você sabe lá no fundo que existe um propósito, existe uma promessa um comprometimento, existe algo.

E assim passamos pela vida, tentando isso ou aquilo; tentando e tentando…..

Encontramos algum prazer aqui, talvez alguma dor e sofrimento adiante, mas nós agimos, nos movemos, criamos, buscamos, desejamos, planejamos e queremos.

Porém nada parece cumprir plenamente sua promessa.

A história é sempre a mesma.

E se repete constantemente pela inconformação e insatisfação com suas próprias realizações e com a sua própria vida que leva a desmotivação e as frustrações.

Pensamentos como:

Ah, se eu tivesse… um diploma, um carro, um amante, um filho, uma casa, um emprego, meu próprio negócio…!

Ah, se eu fosse… importante, famoso ou famosa, poderoso, rico, quem sabe milionário, atraente, popular, bem relacionado…!

E assim dia após dia você escreve o romance, o drama a comédia ou tragédia de sua vida.

E por mais que você tente e consiga parece que nada é durável e a satisfação é sempre temporária e aparentemente nada funciona muito bem para você.

Tudo parece funcionar por um curto período de tempo.

Dirigir esse carro novo faz você feliz por uma semana talvez um pouco mais quem sabe…

Mas logo esse carro novo já não é mais novidade e vamos atrás da próxima promessa de felicidade.

Uma vida da escravidão parece ser seu destino.

Somos escravos de nossos próprios desejos, somos escravos de uma necessidade que é uma parte essencial de nosso ser e esta é força motriz que eventualmente o levará a cumprir o propósito do seu ser.

Então chegamos ao número 2; a dualidade, a flexibilidade, a associação a multiplicação e a motivação que leva você ao seu próximo objetivo.

O número 1 é o meio, mas é solitário e frio, individualista e independente, mas não vai a lugar nenhum sozinho.

Tudo é energia e energia precisa sempre 2 polos para fluir e fazer tudo funcionar.

E é nesse deslocamento de energia que o número 2 faz toda a diferença.

O 2 simboliza o sentimento e o poder de decidir e escolher.

Pense em todas as coisas que você faz em sua vida e as razões que levam você a fazer isso ou aquilo.

Você vai à escola para ganhar uma educação que, por sua vez, lhe dará o ótimo emprego que você imagina querer … mas por quê?

Porque no fundo você espera que isso lhe traga satisfação.

Então você estuda, se forma; trabalha arduamente e ganha o máximo de dinheiro possível para comprar aquela casa fantástica e se casar com aquela pessoa maravilhosa e ter filhos maravilhosos … mas por quê?

Porque no fundo você espera que isso lhe traga satisfação.

Você economiza dinheiro para poder viajar, conhecer o mundo … mas por quê?

Porque no fundo você espera que isso satisfaça seu desejo de liberdade.

Você empenha seus esforços e tempo no que considera ser uma boa causa … mas por quê?

Porque você espera que isso lhe faça sentir uma pessoa realizada.

E assim você passa sua vida esperando…

Se você pensar friamente, tudo que você faz, literalmente em sua vida é esperar e adiar sua felicidade.

Você faz porque espera sempre uma boa sensação ou sentimento.

Mas por que estamos buscando bons sentimentos?

Porque, sentir é o que somos e quando você for capaz de entender isso, você terá a clareza necessária sobre o que você deve e quer fazer nesta vida.

Você não precisa mais criar uma lista de compras de coisas que deseja, que acha que quer ou acha que deveria querer, porque conhecendo suas reais necessidades e motivações; você sabe exatamente o que quer é o que lhe faz se sentir bem.

Aquela necessidade constante e sufocante de correr atrás de sonhos para encontrar alguma alegria e felicidade passa a se concentrar apenas naquilo que realmente lhe proporcione a felicidade e a prosperidade tão esperada.

Sabiamente Sócrates o filósofo alertou: “Conheça a ti mesmo”, e Sun Tzu aperfeiçoou; “Conheça a tí mesmo e a teu inimigo”.

Você é seu maior e único inimigo quando desconhece seus recursos e sua verdadeira necessidade.